terça-feira, maio 30, 2006 

Crónica semanal

A crónica semanal na Cidadela

Posted by Clitie at 22:00 0 comments

domingo, maio 28, 2006 

Jantar Combat

Nada melhor para animar a malta que o convivío e se for com pessoas com quem temos algo em comum... aulas de bodycombat! A única coisa que atacamos foram os deliciosos manjares servidos...
Muito riso, muita brincadeira e alguém que tira fotos piores que as minhas! Francamente João!! Pois é... embora pareçam quatro são só dois os instrutores, Karen e Lee, deliciosamente bem humorados este casal fantástico.
O bolo pelos dois anos de Academia Fitbods e eramos quase 50 pessoas presentes.
O colega Steve e a companhia, depois do jogo do carimbo...

E para quem quer experimentar... tenho para oferecer...

Posted by Clitie at 12:26 7 comments

quinta-feira, maio 25, 2006 

Obrigada

Obrigada a todos pelas vossas mensagens, este espaço não está encerrado está apenas em descanso, à espera que se renove ou que eu me renove. Não quis cair na monotonia de um espaço que é muito especial para mim.
Por agora ocupo uma ilha
Insular, só minha feita das minhas palavras e das medidas e importancia que lhes dou.
Voltarei aqui, sim, porque aqui tenho sorrisos e lágrimas e beijos e abraços e muitos amigos.

Posted by Clitie at 21:29 9 comments

terça-feira, maio 23, 2006 

Até já

Continuo cega
pela mesma ferida.
Mastros quebrados
velas rasgadas.
Não há melancolia
só pequenas pegadas deixadas
por ti, que não sigo.
Voltarei ao ponto de partida,
preciso de um espírito renovado.
Até já.

Posted by Clitie at 22:38 12 comments

 

"Sul" - Miguel Sousa Tavares

Hoje estou na Cidadela

Posted by Clitie at 08:35 6 comments

segunda-feira, maio 22, 2006 




Voltei a oferecer-te tudo e voltas a negar-me a tua alma...

Posted by Clitie at 21:02 7 comments

domingo, maio 21, 2006 

Não sei se porque amanhã é segunda-feira mas hoje a vontade foi de largar amarras e partir... a preto e branco.

Posted by Clitie at 21:20 8 comments

 

"O Codigo Da Vinci" - filme



Versão bem concentrada do livro...
Apesar de gostar bastante de Tom Hanks não o via como Robert Langdon.
Entre bocejos lá fui vendo o filme... tenho que perder a mania de ver os filmes para compará-los aos livros que leio! Seduziram-me as imagens do Louvre e das igrejas por onde foram passando.
Quanto à Opus Dei... parece que está na moda.

Posted by Clitie at 00:54 5 comments

sábado, maio 20, 2006 

The Cult no Super Bock?



I thought you'd be out of my mind
And I'd finally found a way to learn to live without you
I thought it was just a matter of time
Till I had a hundred reasons not to think about you

But it's just not so
And after all this time, I still can't let go

I've still got your face
Painted on my heart
Drawn upon my soul
Etched upon my memory, baby

And I've got your kiss
Still burning on my lips
The touch of your fingertips
This love so deep inside of me, baby

QUERO IR!!!!!!!!!

Posted by Clitie at 21:28 5 comments

 

Noite dos museus

Hoje até às 2h da manhã alguns dos museus do nosso país vão estar abertos com espéctaculos.
Porque não aproveitar?

Posted by Clitie at 13:53 5 comments

sexta-feira, maio 19, 2006 

Chegaste como sempre imaginei
cheio de brilho
cheio de palavras doces
cheio de gestos para contemplar.

Chegaste no momento certo
quando precisei da alegria
quando precisei de luz
guiste-me pelo caminho.

Tudo em ti era claridade
tal qual uma manhã de Primavera
um dia em aberto para viver...

Tudo em ti era transparencia
eliminada pelos tempos
e o Inverno chegou-me por ti.

(17/01/06)

BOM FIM DE SEMANA!

Posted by Clitie at 19:40 7 comments

quinta-feira, maio 18, 2006 

Hoje

Dia mundial dos Museus.

Posted by Clitie at 22:21 8 comments

quarta-feira, maio 17, 2006 

Um poema...

Há ventos e chuvas
que me fustigam a pele
me rasgam até aos ossos

se andas por fora de mim
para que te guarto do tempo?
não quero que sintas os dias
que passam sem mim...

de longe...
vem suave, ainda,
o teu cheiro, e não sei
se me vences se me deixo vencer
se me levas por entre esses caminhos
e te sigo sem rodeios

(16/05/06)

Posted by Clitie at 13:29 9 comments

terça-feira, maio 16, 2006 

Orfeu e Eurídice


Grande herói da Trácia, Orfeu era conhecido não pelas suas qualidades de guerreiro, mas pelas suas qualidades musicais. Filho de Apolo e da musa Calíope, recebeu do pai uma lira como presente e aprendeu a tocar com tanta dedicação e beleza, que ninguém conseguia ficar indiferente ao encanto da sua música.
Tanto os seres humanos como os animais, e diz-se que até as árvores e os rochedos, se rendiam ao seu fascínio.Orfeu amava apaixonadamente a ninfa Eurídice. No dia do casamento de ambos, esteve presente Himeneu para abençoar a união, mas o fumo da sua tocha fez lacrimejar os noivos, o que não trouxe augúrios favoráveis. Pouco tempo depois, Eurídice passeava com as ninfas, quando foi surpreendida pelo pastor Aristeu, que, ao vê-la, se apaixonou perdidamente e tentou conquistá-la. Na sua fuga, Eurídice pisou uma cobra e morreu da mordedura que esta lhe fez no pé. Orfeu, inconsolável, tocou e cantou aos homens e aos deuses, mas nada conseguiu. Decidiu, então, descer ao reino dos mortos para conseguir recuperar Eurídice. Perante o trono de Hades e Perséfone, Orfeu cantou o seu desgosto e o seu amor dizendo que, se não lhe devolvessem Eurídice, ele próprio ficaria ali com ela, no reino dos mortos. Todos os fantasmas que o ouviam choravam e Hades e Perséfone ficaram tão comovidos que lhe devolveram Eurídice. Mas com uma condição: Orfeu poderia levar Eurídice, mas não poderia olhá-la antes de terem alcançado o mundo superior. Caminhando na frente, Orfeu, que estava quase a chegar aos portões de Hades, com receio de ter sido enganado por Hades, virou-se para trás para confirmar se Eurídice o seguia. Esta, com os olhos cheios de lágrimas, foi levada para o mundo dos mortos, por uma força irreversível. Orfeu tentou alcançá-la, mas sem êxito. Profundamente triste, Orfeu ficou na margem do rio, durante sete dias, sem comer nem dormir, suplicando a volta de Eurídice. Depois, vagueou triste e solitário pelo mundo, sem nunca mais querer saber de mulher alguma e repelindo todas aquelas que o tentavam seduzir, até que um dia, as mulheres da Trácia, enfurecidas pelo seu desprezo, o mataram. O seu corpo foi atirado ao rio Ebro e levado até à ilha de Lesbos, onde, durante muito tempo, a cabeça de Orfeu, presa numa rocha, proferia oráculos. A sua lira foi colocada num templo de Lesbos. Outra lenda diz que as musas enterraram Orfeu, em Limetra, num túmulo onde o rouxinol canta mais suavemente do que em qualquer outra parte da Grécia e a lira do jovem apaixonado foi colocada por Zeus entre as estrelas. Orfeu encontrou por fim Eurídice e, abraçando-a, nunca mais deixou de contemplá-la.

Posted by Clitie at 21:07 6 comments

 

Crónica Da Vinci


" O Código Da Vinci" na Cidadela dos incultos

Posted by Clitie at 08:40 10 comments

segunda-feira, maio 15, 2006 

Citação

"É necessária uma grande quantidade de História para se fazer pouca Literatura."

Henry James

P.S - Vou estudar...já volto.

Posted by Clitie at 21:35 2 comments

domingo, maio 14, 2006 

Pensamentos e desejos


Se te digo:
- que me consomem os pensamentos
os teus beijos molhados
cheios de desejo
ao olhares para mim?...

Acredita...

Clitie em Lirismo minimalista

Posted by Clitie at 13:58 7 comments

sábado, maio 13, 2006 

É preciso calar o monólogo


PhotoForum

vem deslizando lento sobre a tua pele de revolta
o enigma absurdo entra por ti adentro
como uma serpente triunfante
e nem sabes ao certo se é a serpente que te abraça
ou se é já o teu corpo aberto que a envolve
sabes contudo
que o absurdo está em ti
chegou efectivamente pela manhã
bem cedo
como se o tivesse acordado
o primeiro pássaro do dia
veio para se alimentar
devorando a incredulidade dos crentes
e a perplexidade dos incautos
amanhã não restará
uma única migalha de tédio em suas casas
e todo o mundo chorará
a morte do tempo

Victor Domingos

(Retirei este texto daqui arcos, cheguei lá através do Pete, achei o titulo interessante)

Posted by Clitie at 18:13 9 comments

sexta-feira, maio 12, 2006 

Antes que a noite caia

Quero o fogo
dizes-me leve e limpo
- O fogo onde arda a minha deusa
e eu possa amá-la no grito de além-dor -
O fogo com que pintas o olhar
e o diluis, nostálgico,
na quietude líquida
de água donde emerges.
E há fogo
nos olhos que me afagam
e uma harpa de tristeza
cresce por dentro
e bate
onde dorme o coração.

(Maria Aurora Carvalho Homem)


Posted by Clitie at 21:12 7 comments

quinta-feira, maio 11, 2006 

Salvador Dalí


Pintor espanhol, Salvador Dalí nasceu em Figueras, na Catalunha, a 11 de Maio de 1904 e aí morreu a 20 de Janeiro de 1989. Filho de um prestigiado notário daquela cidade, frequentou a Academia de Belas-Artes de Madrid de 1921 a 1926. Foi aqui, durante a sua estadia na residência de estudantes, que Dalí conheceu e se tornou amigo do poeta Federico García Lorca e do cineasta Luis Buñuel, com os quais viria, mais tarde, a desenvolver alguns projectos. Depois de estudar em Madrid, rumou para Paris onde se instalou e se tornou membro oficial do grupo surrealista. As simpatias de Dalí pelos regimes de extrema-direita terão levado, mais tarde, Breton a exclui-lo do grupo. Datam desta altura algumas da suas obras mais representativas do surrealismo, como, por exemplo, "A Persistência da Memória", "O Jogo Lúgubre" e "Grande Masturbador". Em 1929 conheceu Helena Diakonova, conhecida por Gala Éluard, uma jovem russa que, tendo sido companheira de Paul Éluard, viria a tornar-se na modelo e companheira inseparável de Dalí.Entre 1928 e 1930, colaborou com Buñuel nos filmes Un Chien Andalou e L'âge d'Or. Os primeiros quadros surrealistas foram expostos em 1929 e sugerem a influência de De Chirico. A mistura do real com o irreal é uma característica que se tornará frequente no seu trabalho. Elaborou um método a que chamava "crítico-paranóico", que implicava o recurso ao inconsciente, na interpretação livre de "associações delirantes". Possuía uma técnica magistral, que colocou ao serviço de uma imaginação transbordante alimentada pela leitura cuidada de Freud. As imagens oníricas e os claros símbolos sexuais não impediram o público de assimilar a sua obra, que obteve um sucesso enorme, sobretudo depois da Segunda Grande Guerra. Nos Estados Unidos da América, para onde Dalí e Gala viajaram em 1940 e onde permaneceram durante cerca de oito anos, o artista fez, no Museu de Arte Moderna de Nova York, a sua maior exposição. Escreveu ainda A Vida Secreta de Salvador Dalí e trabalhou por diversas vezes para o cinema, teatro, ópera e bailado. Em 1974 inaugurou o Teatro-Museu de Figueras, onde se encontra exposta uma grande parte da sua obra, e, em 1983, criou a Fundação Gala-Salvador Dalí, uma instituição que gere, protege e divulga o seu legado artístico e intelectual.Morreu em 1989, sete anos depois de Gala, e foi sepultado, como era seu desejo, no Teatro-Museu que o próprio Dalí criou e ao qual deu o seu nome.

Posted by Clitie at 22:13 15 comments

quarta-feira, maio 10, 2006 

A Mitologia - Taliesin

O seu nome significa "fonte radiosa". Era um bardo, filho da feiticeira Koridwen ou Ceridwen. Taliesin ensinou toda a sua ciência aos Druidas e foi rei de um povo composto por seres mágicos.
Koridwen tinha um filho muito feio e uma filha muito bela. Como o filho era extremamente feio decidiu dar-lhe uma grande sabedoria através de uma poção que fez no caldeirão mágico que possuía.Como o tempo de preparação da poção era de um ano e um dia, a feiticeira encarregou um homem cego, Morda, de manter o fogo aceso e um rapaz, Gwion, de mexer o líquido. Enquanto Gwion mexia a poção caíram-lhe por acidente três gotas a ferver na mão, que ele chupou instintivamente; acontece que só as primeiras três gotas da poção proporcionavam sabedoria, sendo o restante líquido um veneno mortal. Koridwen perseguiu então Gwion, que se transformou em coelho; Koridwen tornou-se um cão e para lhe escapar o rapaz metamorfoseou-se em peixe. Mas a feiticeira saltou para o rio sob a forma de marmota e Gwion transformou-se em pássaro, perseguido depois pelo falcão em que Koridwen se transformou. Esta conseguiu finalmente comer o grão de milho em que se transformou Gwion sob a forma de uma galinha.Pouco depois Koridwen ficou grávida e apercebeu-se que o filho era Gwion, decidindo matá-lo quando nascesse; no entanto, o bebé que nasceu era tão belo que não foi capaz de o fazer, atirando-o ao mar. Foi depois encontrado por Elphin, filho de Lorde Gwiddno Garanhir de Gwynedd, quando estava a tentar pescar salmões. Enquanto se dirigiam para casa de Elphin o bebé, a quem puseram o nome de Taliesin, recitou belas poesias. Passado algum tempo, o rei Maelgwn ordenou a Elphin que lhe fosse prestar vassalagem, o que este se recusou a fazer dizendo que a sua mulher era mais bela e virtuosa e o seu bardo mais dotado que os de Maelgwin ou da sua corte. Então o rei mandou o seu filho Rhun seduzir a mulher de Elphin para provar o contrário. Rhun levou a seu pai o dedo cortado da mulher de Elphin com a aliança, depois de a ter embebedado e ter tentado tirar o anel sem sucesso. Maelgwn mostrou então a Elphin a prova da infidelidade da esposa, tendo este respondido que o dedo não podia ser da sua mulher uma vez que o anel lhe estava largo e aquele estava apertado e que ela cortava as unhas mais frequentemente e nunca estavam sujas como a do dedo que lhe apresentaram.Maelgwn decide então provar que os seus bardos são melhores e chama Taliesin para competir com eles. Os bardos do rei não conseguiram cantar um poema épico durante vinte minutos, como se tinha combinado; começa depois Taliesin, provocando um vendaval que abanou o castelo. Maelgwn assustou-se e mandou buscar Elphin, acorrentando-o. Mas a segunda canção de Taliesin partiu as correntes, sendo então desafiado pelo rei a uma corrida de cavalos. O bardo levou para a corrida um cavalo velho, e à medida que os cavalos do rei passavam por ele tocava-lhes com ramos de azevinho na parte traseira, tendo depois atirado o chapéu, que continha o azevinho, para o chão. No fim da corrida, quase junto à meta onde Taliesin tinha deixado os ramos de azevinho, os cavalos param e começam a dançar. Assim, o velho cavalo do bardo teve tempo de chegar à meta com toda a tranquilidade.Com o nome de Taliesin é conhecido um poeta escocês do século VI d. C., tendo sobrevivido doze dos seus poemas, e o chefe dos bardos da corte do rei Artur tinha também este nome.

Posted by Clitie at 19:11 7 comments

terça-feira, maio 09, 2006 

Leitura da semana


Cidadela dos incultos

Posted by Clitie at 19:44 10 comments

segunda-feira, maio 08, 2006 

Obrigada Casal X

Certificado de Participação no almoço do Visitante X, diria de Aprovação também! E com distinção, pois o almoço foi óptimo e a companhia melhor ainda, conhecer pessoalmente pessoas com quem já se tem uma certa afinidade virtual e o prazer de descobrir que que se podem tornar bons amigos é simplesmente maravilhoso e sem explicação possivel.

Para o Casal X um beijinho especial pelo convite, para o meu querido amigo Dilbert que tem a paciência e disponibilidade de me aturar sempre que vou a Lisboa e para o casal Lost e o seu Kit, que tive o prazer de conhecer, num encontro que não foi de sanitas o Ambrozote cheio de sentido de humor e ainda a Margarida, que comenta sempre tão docemente este blog.

Posted by Clitie at 21:42 8 comments

sexta-feira, maio 05, 2006 

Porque a vida passa...

Vou de fim de semana!!
Hoje ver Toranja e Xutos a Faro.
Amanha vou até Cascais honrar o ilustre convite do Visitante X para um almoço à beira mar com o meu querido amigo Dilbert e não só!...E volto...quando me apetecer. Porque a vida não volta atrás...

Video Code provided by VideoCodeZone.Com



Beijos coloridos para todos e um bom fim de semana.

Posted by Clitie at 16:49 13 comments

 

Shiva

Shiva (o radiante) é a terceira pessoa da Trindade hindú. Sendo Brama o Criador e Vishnu o Conservador, tinha que haver um deus Destruidor para completar todo o sistema, tendo esta função sido destinada a este deus. Porém, este destruidor não passa de um recriador, destroi mas faz com que os seres revitalizem a sua existência. Muitas vezes, este deus é representado como um Brama, por ter tais poderes. Como todos os outros elementos da trindade, também se casou. Era casado com Parvati (ou Bhavani), que por sinal era sua filha, irmã e mãe. Deste primeiro matrimónio nasceram Genesa e Skanda (Kartikeia). Uniu-se também a Durga, que encarnara em Kali (negra) e Gauri (a loira), uma a guerra outra a fecundidade.As tradições hindus mostram certas divergências no que diz respeito à antiguidade de Shiva. Algumas tradições afirmam que Shiva é mais antigo do que Vishnu, e que permaneceu antagónico com as modificações sucessivas.Encarnou por duas vezes com os nomes de Markandeia e Kandipa. Governava e conduzia todo o Universo, e executava todas as leis. Seu nome também significa "benfeitor", sendo ainda o "Senhor do Yoga", ou do ascetismo hindu.Iconograficamente, é representado sob duas formas, de Shiva bem feitor e Shiva infernal. Na primeira, é representado sobre o touro branco Nandi, tendo nas mãos a serpente e o loto. Tem cinco cabeças, tendo uma delas cinco olhos e quatro braços. Encontra-se a flutuar na água celeste. O Shiva infernal é colocado ao lado da morte, alimenta-se de lágrimas e sangue. A sua boca cospe fogo e a sua cabeça encontra-se coroada com crânios. As serpentes fazem de colares e pulseiras. As suas numerosas mãos empunham armas. A ele se associam Kama, deus do amor, Varuna, senhor dos mares, e Yama, rei dos infernos.

Posted by Clitie at 11:05 7 comments

quinta-feira, maio 04, 2006 

E não é que ele tem razão?...

"Todos podemos controlar a dor excepto aquele que a sente."
W. Shakespeare

Posted by Clitie at 22:47 4 comments

 

Prostituir sentimentos

PhotoForum


As prostitutas pelas rua
implorando amor,
as migalhas de alguém.

O desvalorizar da vida humana
no limite da humilhação.
Pede-te que lhe pagues
por uma hora de prazer.

Que chances de sobrevivência
por um amor assim?

Prostitui os sentimentos para te ter
que choque ao pensar
que não são serviços pagos
o amor alguém.

Ficou-me a amargura
de não ter forças para te esquecer.

(3/01/06)

Posted by Clitie at 13:43 8 comments

quarta-feira, maio 03, 2006 


Quanto, me queres? - perguntaste
Numa voz de lamento diluída;
E quando nos meus olhos demoraste
A luz dos teus senti a luz da vida.

Nas tuas mãos as minhas apertaste;
Lá fora da luz do Sol já combalida
Era um sorriso aberto num contraste
Com a sombra da posse proibida...

Beijámo-nos, então, a latejar
No infinito e pálido vaivém
Dos corpos que se entregam sem pensar...

Não perguntes, não sei - não sei dizer:
Um grande amor só se avalia bem
Depois de se perder.

(António Botto)

Posted by Clitie at 20:46 11 comments

terça-feira, maio 02, 2006 

Curiosidade histórica

D. Leonor (1458-1525)

Rainha de Portugal nascida em 1458 e falecida em 1525. Prima e esposa de D. João II, a rainha D. Leonor pertencia à mais alta nobreza da época: era filha dos infantes D. Fernando e D. Beatriz, neta materna do infante D. João, filho legítimo de D. João I e da infanta D. Isabel, e neta paterna do rei D. Duarte e da rainha D. Leonor de Aragão.
D. Leonor distinguiu-se como promotora de iniciativas culturais. Foi o caso da protecção concedida a Gil Vicente e Damião de Góis, do apoio às artes e à imprensa, tendo também sido a responsável pela versão impressa e traduzida, em 1518, da obra de Christine de Pisan, O espelho de Cristina, considerada por alguns autores contemporâneos como o início do movimento feminista. Dedicou-se ainda a iniciativas de carácter religioso, entre elas a fundação dos conventos da Madre de Deus e da Anunciada.

Posted by Clitie at 22:17 4 comments

segunda-feira, maio 01, 2006 

Bolor

Os versos
que te digam
a pobreza que somos,
o bolor
nas paredes
deste quarto deserto,
o orvalho da amargura
na flor
de cada sonho
e o leito desmanchado
o peito aberto
a que chamaste
amor.

Carlos de Oliveira

Posted by Clitie at 20:03 12 comments

Outros blogues